[ editar artigo]

Persona: tenha olhos de ver e ouvidos de ouvir!

Persona: tenha olhos de ver e ouvidos de ouvir!

Meu propósito é incentivar o desenvolvimento pessoal e o afroempreendedorismo usando as mídias sociais, para isso um bom estudo de persona faz toda a diferença no sucesso do negócio. Mas antes de falar sobre o método de persona “look a like”  inspirado em pessoas reais, eu quero te contar uma história.

Há cerca de 5 anos o YouTube proporcionou uma onda de comunhão entre pessoas pretas que se descobriram online, dividindo experiências em vlogs e alinhando necessidades, desejos e soluções recorte a etnico. Pela primeira vez o ser preto e viver a negritude no Brasil passou a ser tema recorrente na plataforma de vídeos. Em 2016, percebendo o grande fluxo de pessoas e interesse assunto, a própria plataforma decidiu investir no projeto YouTube Negro, uma ação oficial do Youtube Space SP para valorizar a produção de youtubers negros. Veja a playlist oficial com todos os vídeos AQUI. Eu verdadeiramente acredito que uma segunda onda irá acontecer, agora com afroempreendedores que irão ganhar espaço entre as inúmeras possibilidades de negócios do marketing digital.

 

CONHEÇA SEU CLIENTE IDEAL

Fazer um estudo de persona sempre foi algo desafiador pra mim. Ao mesmo tempo que acredito na importância de conhecer um público profundamente para que se possa “falar a mesma língua” que ele, confesso que sempre me sentia um pouco impostor ao fazer esse exercício de “inventar uma pessoa” e ficar preenchendo lacunas com informações “de mentirinha”. 

Eu trabalho em uma agência de influenciadores digitais e antes do isolamento social a sede da agência ficava no bairro de Pinheiros, em São Paulo. Na época eu usava tranças com a lateral do cabelo raspada. Então, a cada 10 ou 15 dias, tinha que “fazer o pezinho” - termo que os barbeiros usam para o procedimento que arruma apenas o “contorno” do cabelo. É um meio corte... Como realmente a ideia era apenas raspar a lateral do cabelo, não precisava de indicação de um profissional para um procedimento tão simples. Não tive dúvida e fui para o Google: “barbearia perto de mim”. Descobri uma barbearia express, dessas com agendamento online e preços tabelados, a menos de 3 minutos de distância do trabalho. Entrei no site e marquei com um dos barbeiros disponíveis na hora do meu almoço. 

PAPO DE BARBEARIA

Foi numa conversa despretensiosa que o Gonzaga, 32 anos, me confidenciou que acredita que estar atualizado é fundamental para a profissão. Para isso tinha o costume de assistir vídeos com tutoriais de corte e sempre que possível dedica seu tempo em eventos especializados e até mesmo congressos como o Barber Week.

Fiquei impressionado sobre a paixão com que ele falava da profissão e, por acaso, conhecia a qualidade técnica do evento Barber Week. Também fiquei sabendo que Gonzaga sonhava em ter o próprio negócio novamente, a barbearia que teve no passado que acabou quebrando. Seu sonho era voltar a época que tinha mais estabilidade financeira e podia proporcionar mais conforto para as filhas. Aliás era aniversário de uma delas e depois do trabalho, antes de voltar para casa ele ainda queria comprar um presente a menina. Mas como ele saia apenas às 19h de Pinheiros e levava cerca de 2 horas para chegar em Mauá, município do ABC Paulista, a única opção de compra seria o shopping.

Papo vai, papo vem ficou claro o amor que ele tinha pela família e como para ele o sucesso estava diretamente relacionado ao conforto que ele poderia proporcionar para a família fazendo mais dinheiro com um negócio próprio. Gonzaga pulsava empreendedorismo e parecia determinado a reconquistar seu negócio e ir muito além do ponto que parou quando quebrou e precisou fechar a barbearia. Sua história, a dor de ter falido e a devoção à família eram reais! E foi num dia comum, cortando o cabelo, um véu se levantou e tive olhos de ver e ouvidos de ouvir: eu estava conversando com a minha persona e ali não tinha nada de mentirinha.

AVATAR TRANSFORMADO

Imediatamente me peguei pensando que um profissional como ele, que passou pela experiência de ter a própria barbearia, que se interessava em reciclar conhecimento em um congresso especializado, que ser comunicava com tanta fluidez seria perfeito para ter um infoproduto sobre iniciação na barbearia. Talvez você não saiba, mas o ofício de barbeiro comumente é o primeiro passo rumo a profissionalização de meninos periféricos. Tanto que, marcas para aparelhos profissionais para cabeleireiros têm como produto de entrada kits compostos por: tesoura, pente, “maquininha” de corte e seus acessórios. O Gonzaga era o avatar transformado, o cara que venceu: aprendeu a profissão a ponto de conseguir um dia ter a própria barbearia e tinha algumas técnicas exclusivas também. O corte ficou ótimo e o Gonzaga entrou para meu estudo de persona. 

 

 

Vivendo de Conhecimento
Aldine Paiva
Aldine Paiva Seguir

Há 20 anos atuo como jornalista. Atualmente trabalho com marketing digital e agenciamento de influenciadores digitais. Meu propósito é incentivar o desenvolvimento pessoal e o afroempreendedorismo usando mídias sociais.

Ler conteúdo completo
Indicados para você