[ editar artigo]

Profissionais da indústria precisam ter uma segunda atividade profissional

Profissionais da indústria  precisam ter uma segunda atividade profissional

Trabalho em uma grande empresa metalúrgica há 3 anos e meio, estou na segunda passagem por essa empresa.

Trabalhei anteriormente de nov/2011 à fev/2015, mas saí no início da crise daquele ano, sendo obrigado a deixar os sonhos e planos que eu tinha criado para trás.

A partir daquele dia, precisei me reinventar,  descobri os meus talentos e comecei a empreender, colocando em prática tudo aquilo que eu sonhava em fazer mas não tinha a coragem de iniciar, precisei do “ empurrão “ da empresa para começar.

Após quase 2 anos fora do mundo corporativo, fui convidado pela mesma empresa para retornar, de bate pronto eu aceitei o convite, mas voltei diferente, com outra mentalidade, outras atitudes, novos sonhos, mas dessa vez eu era 100% responsável por esses sonhos.

O que me assustou no retorno, é que encontrei muitas pessoas que estavam aparentemente iguais, parecia que eu estava em um filme em que o tempo parou e num piscar de olhos, passaram-se 1 ano e 8 meses, tudo do mesmo jeito,  e hoje diante de outra crise, vejo grandes profissionais pensando igual pensava em 2015, grandes profissionais de outras empresas, umas que inclusive já faliram, pensando da mesma maneira, sem buscar seus sonhos, presos em velhos paradigmas, naquele velho jogo de se garantir mais um pouco no emprego, “depois vejo o que eu faço”, ou “não sei fazer outra coisa”.

Acredito que é possível, e necessário, as pessoas começarem a buscar uma segunda fonte de renda, mas principalmente, que essa segunda fonte seja fruto de algo que elas realmente gostem, algo que elas amem muito fazer, que fariam de graça se não precisassem de dinheiro para pagar as contas.

Que elas busquem descobrir seu propósito de vida, e desenvolvam seus talentos natos, pois quando fazemos algo que realmente nascemos para fazer, tudo tem outro sentido, o dinheiro se torna a consequência, e não a razão do trabalho.

Como diz o ditado: Não coloque todos os ovos na mesma cesta.

Hoje que estou na empresa diante de outo momento difícil na economia, e tenho minha segunda fonte de renda, que é baseada no meu propósito de vida, percebo que sou um profissional muito melhor para a empresa, um ser humano mais tranquilo, sem aquela ansiedade de outros tempos e ainda consigo ajudar alguns colegas com a minha experiência em tudo que vivi, e hoje enxergo adiante um futuro muito melhor, nas duas esferas da minha vida profissional.

E com todo esse conhecimento que venho adquirindo primeiro através do curso atitude digital e depois com o vivendo de conhecimento, acredito que obter outras fontes de renda se torna uma caminhada com mais chance de obter sucesso, pois você vai empacotar o seu conhecimento para ofertar para quem tem interesse e necessidade, e como os mestres nos ensinaram desde o inicio, tudo tem inicio em nossa paixão, isso vem de encontro com a minha jornada vivida desde 2015.

 

Luiz Roberto Krueger

Vivendo de Conhecimento
Ler conteúdo completo
Indicados para você