[ editar artigo]

O amor e o conhecimento compartilhados é o que movimenta a engrenagem da vida.

O amor e o conhecimento compartilhados é o que movimenta a engrenagem da vida.

 

Hoje em dia quem deseja ensinar, aprender, vender ou comprar pela internet quase obrigatoriamente precisa se engajar, se envolver, se relacionar.

Muito se fala do grande potencial do mundo digital nos relacionamentos humanos e nos negócios, mas embora possamos viver rodeados de algoritmos, estratégias e ferramentas, tudo isso serve para uma só coisa: conectar pessoas.

Somos seres que, mesmo que inconscientemente, somos atraídos para a convivência, para a troca, para o compartilhar.

Estamos todos envolvidos num grande processo de evolução conjunta.

Em última análise, estamos constantemente buscando significado, propósito e solução para nossos desafios existenciais, emocionais, profissionais, etc.

Desenvolver nossos potenciais e auxiliar o próximo a se desenvolver têm muito mais poder do que qualquer tentativa isolada de crescimento, sucesso e prosperidade.

Imagine você conquistar tudo o que sempre quis, quer seja conhecimento, fama, riqueza ou afeto, e perceber que tudo a sua volta só serviu de trampolim para sua vitória solitária? Que não há ninguém ao seu lado, segurando a sua mão, que traga cravado no olhar, no sorriso ou na alma as marcas da sua presença na vida dela.

Falar em comunidades, ao meu ver, é falar de pessoas com afinidades e propósitos convergindo para o bem-estar tanto do coletivo quanto do individual.

Os professores Luciano Kalil e João Rios exemplificaram muito bem essa “essência do poder da comunidade” na amplificação da voz que nasce da alma de cada pessoa que deseja ser ouvida, compreendida e que busca compartilhar seu conhecimento, seu amor, seu conhecimento com amor ou seu amor ao conhecimento.

Desculpe-me pelas reflexões filosóficas. O que esperar de um Personal Trainer que escreve sobre exercícios físicos e espiritualidade e que sua missão é ajudar as pessoas a saírem do sedentarismo através da autorresponsabilidade e da conscientização?

A força da comunidade em que acredito é aquela em que cada um dos seus membros compartilha o seu melhor, e esse melhor é cada vez mais aprimorado nesse “choque de almas” através da troca de experiências, conhecimentos e conteúdos que geram valor.

Se hoje eu fosse criar uma comunidade sobre algo do meu interesse, acredito que a “alma dessa comunidade” deveria ser o amor e o conhecimento compartilhados, pois são eles que movimentam a engrenagem da vida, e é preciso sensibilidade para reconhecê-los, pois podem vir em diversas roupagens, disfarçados em muitos vídeos, "posts", nichos, cursos e lançamentos.

É importante lembrar também que quem faz com amor e sabedoria sabe reconhecer aqueles que também o fazem: pois participamos de algumas “comunidades humanas” que se reconhecem pelo caminho, transformando e transformando-se, ligadas pelos laços invisíveis do amor e do conhecimento compartilhados.

Portanto, quando formos criar uma comunidade ou participar igualmente de uma, nos perguntemos:  o quanto de amor e conhecimento estou disposto a ofertar em favor do crescimento de todos os envolvidos?

 

 

Vivendo de Conhecimento
Thalles Mello
Thalles Mello Seguir

Thalles Mello, 39 anos, Personal Trainer há 18 anos. Autor dos livros Academia com Alma, Parceria Evolutiva e Espiritualidade Consciente. Escreve sobre as temáticas exercício físico, espiritualidade, autoconhecimento e relacionamentos.

Ler conteúdo completo
Indicados para você